Prefiro subir pela rampa!

Na terça-feira dessa semana (03/12/13), foi “comemorado” o Dia Internacional Das Pessoas com Deficiência, é uma data comemorativa promovida pelas Nações Unidas desde 1998, com o objetivo de promover uma maior compreensão dos assuntos concernentes à deficiência. E o que não entendo é ter uma data para se comemorar o desastre do outro, desastre como acidente automobilístico, mergulho, tiro, arma branca ou doenças congênitas….

O que pode ser necessidades diferentes com direitos iguais!? No dia em que o Brasil deixar de pronunciar a palavra Inclusão Social e Cotas … com isso ocorre maior segregação ou fragmentação de um grupo do qual vive na mesma intensidade e as vezes até mais intenso….. Acabar com essa discrepância sim, ai é possível acreditar na igualdade humana e no respeito ao próximo…! Do qual isso não interessa ao segmento do governo. Queremos o direito de ir e vir, e não caridade…. Porque você vai trabalhar, não te oferecem um salário e sim uma esmola, do qual não precisamos. O que precisa é de um local que possa nos receber, sem barreiras arquitetônicas mas acima de tudo as barreiras que o ser humano em sua personalidade descrimina com olhar de coitado, na cadeira de rodas, uma muleta, ou por não ser um ser que esta deambulando da qual a sociedade aceita de bom agrado aqueles que tenha boa aparência, um corpo bonito, escultural… mas aquele que foge da norma necessita de “uma cota“ pra conseguir colocá-lo de volta a um lugar na sociedade.

“NÃO QUEREMOS UMA VISÃO ASSISTÊNCIALISTA“

Se quer melhorar com inclusão, não basta uma data e sim todos os dias, em todos os ambientes… eu direi que não possui deficiências, e sim ambientes deficientes que não comporta as necessidades de cada um. E, embora vergonhosamente a preconceituosa sociedade nos veja como entulhos, não estou mendigando ou buscando a execrável pena de ninguém. É o oposto, mato dez leões todos os dias para ter nosso lugar ao Sol. Citando o slogan da Aparu (Associação dos Paraplégicos de Uberlândia):

“SUBIR NA VIDA DEGRAU POR DEGRAU? QUE NADA, PREFIRO SUBIR PELA RAMPA.”

Quero rampas adequadas para adentrarmos os estabelecimentos comerciais e órgãos públicos. Quero rampas para subir nas calçadas e diminuirmos o risco de ser atropelado. Como seres pensantes e contribuintes que somos – e por mais absurdo que pareça, nossos impostos são ainda maiores, pois qualquer artefato para deficiente é absurdamente caro -, quero igualdade em concurso público e a garantia de que nossos direitos constitucionais sejam respeitados. Queremos ser respeitados como seres humanos iguais ( LUZ).

 1458531_570924299653975_53608012_n

“A Minha história poucos sabem, aqueles mais próximos já ouviram contar, mas Sou Rogério Lopes, sou conhecido mais como GG, tenho 28 anos. Sou paraplégico e tetraparético. Paraplegia quer dizer ausência de movimento de membros inferiores e tetraparético possui movimentos parciais (sendo bem genérico na definição). Minha deficiência foi adquirida em um acidente automobilístico (capotamento) em 2003, ocorreu na divisa de MG e SP. Na atualidade, sou formado em Fisioterapia, com pós-graduação em fisioterapia Ortopédica e traumatológica, e cursando Psicologia.”

Anúncios

2 comentários em “Prefiro subir pela rampa!

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s