Deixem minhas marcas em paz!

Nunca tive a pele elástica e a genética não foi favorável, na adolescência com o crescimento do meu corpo isso ficou visível, marcas ficaram fixadas para dizer, olha a puberdade chegou!

Eu sempre achei feias aquelas tiras esbranquiçadas no meu corpo, uma imperfeição nata, não usava roupas curtas, me escondia sobre panos largos. Depois de anos e amadurecida, surgiram várias questões, como quem disse que é feio? Quem ditou esses padrões?

 

Beall postou uma foto no Facebook do estômago suavemente flácido de uma amiga, com seus dois filhos aninhados. A foto se tornou um viral. Começaram a chover e-mails, e centenas de mulheres escreveram para dizer que também queriam fotos tiradas do corpo pó (Foto: www.abeautifulbodyproject.com)

 

É um padrão que se fantasia de photoshops baratos, que se diz não ser violento. Os tolos se esquecem das agressões verbais, que perfuram a autoestima de qualquer mulher, ser chamada de zebra, não é nem um pouco interessante, mas claro, ah não, são só piadinhas, pra quê levar a sério?

Esse padrão se esquece das marcas que a gravidez deixou nas mães, afinal, todas podem pagar tratamentos estéticos caríssimos, não é?

Ou seja, o corpo feminino sendo sempre criticado. A culpa é sua, come que nem um cavalo, a culpa é só sua, falei para você passar aquele óleo corporal, a culpa é sua quem mandou nascer mulher.
Mil receitas, tratamentos e nenhuma mulher será bela o suficiente para esses padrões.

A mídia estampa inúmeros corpos e com suas verdade únicas, dizem ser o bonito. Eu digo não, atrás de cada marca há uma história, além de tudo, há  mulheres humanas, que também merece ser chamadas de lindas.

 

Woman Blowing Herself a Kiss in the Mirror

E a cada dia percebo que o problema não é o excesso de peso, não é a gravidez ou a falta de colágeno na pele, o problema é esse sistema que insiste em ditar os padrões, em dizer o que é certo e errado, bonito e feio. De não deixar mulheres se aceitarem como são, com todas as suas marcas, sardas, pintinhas, estrias e entenderem que são pedaços nossos, é necessário se aceitar. Não estou dizendo para deixarem de se cuidar, faz bem, mas tentar esquecer dessas neuras angustiantes e se aceitarem, Não sintam vergonhas dos seus corpos, tenham amor próprio, se amem acima de tudo, acredite você é linda e bela.

 

*A primeira foto é do projeto ‘A Beautiful Body’ da americana Jade Beall, que quis retratar  mulheres pós-partos, e mostrar que há beleza e histórias nestas marcas.

“Não quero que as pessoas achem as minhas fotos de mau gosto. Quero que elas olhem e digam, ‘isso é uma mulher extremamente humana, ou, essa é uma mulher que tem cicatrizes e linhas com histórias para contar.”

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s