Talvez não fosse a nossa hora

Por: Eduardo Miranda

Acho que eu era o único que não tinha me dado conta do fim. Sua conversa ainda estava aberta onde parou, as fotos
ainda estavam em meu celular. Tudo parecia normal, até hoje. Hoje sem querer eu acabei vendo que não existia mais
”nós”. Hoje só existia ”eu”…
Sabe quando a alegria de acordar se torna algo inútil? Que a alegria de um cachorro correndo atrás de sua bolinha,
pra você não tem mais graça? Então, esse foi meu hoje. Esqueci de todo o resto, nada mais fazia sentido, nada. Pensar
que daqui pra frente eu estaria sozinho também não me ajudava, até porque esses pensamentos não faziam parte
dos meus planos…
E eu acreditei. Eu realmente acreditei que dessa vez meu sonho fosse possível. Que nada, nem ninguém poderia atrapalhar.
Mas infelizmente o problema não foi com os outros… O problema é que as vezes nós nascemos apenas para amar, e não
para ficar com quem amamos. E isso me destruía cada vez que eu via que essa era a realidade. Aceitar isso tem sido não
só difícil, mas impossível…
Nossos filhos nem nasceram ainda e a gente já sabia o nome deles. Nossos encontros nem aconteciam e a gente já sabia
como tudo ia ser. Acho que nunca encontrei alguém assim como você. Que sabia exatamente o que eu sentia apenas com
um olhar, uma palavra diferente… Foram anos, e esses anos passaram voando. Me lembro como se fosse ontem o dia em
que eu te vi pela primeira vez, o que eu senti… Depois desse dia meu coração nunca voltou ao normal. Mesmo depois de
tanto tempo, eu ainda vejo você como aquela que fez meu chão desaparecer, mesmo com todas as brigas e discussões,
você ainda era a unica capaz de me fazer sorrir de verdade. E o que fazer sem você agora? Sempre vi uma luz no fim do
túnel, do nosso túnel, mas desta vez ficou tudo escuro…
Ainda quero que minha filha tenha seus olhos, seu sorriso, seu jeito meigo de dizer que sentia minha falta, sua vontade
de mudar o mundo sem saber que tem coisas que são maiores que nossas vontades… Um dia vai dar certo, eu tenho
certeza disso. Hoje, amanhã, em uma outra vida. Não importa. Vai dar certo. E quando der, nada, nem mesmo a gente
vai ser capaz de se perder. Porque quando tem que dar certo, não tem o que se faça, dá. Talvez não fosse a nossa
hora, não agora, não hoje… Mas não me arrependo, você me fez conhecer o lado bom da vida, você me fez conhecer
o meu lado feliz, e além disso, você me fez conhecer o amor…
Sei que independente de qualquer coisa, ainda vai ser você. Dias, meses, e anos vão passar, e eu nunca esquecerei da
menina mais linda e incrível que eu já conheci, do grande e verdadeiro amor da minha vida…
Te espero, pra sempre.
2013-11-25 01.12.36
Sozinho invento histórias, segredos, medos e paixões. Ninguém precisa entender de onde tudo vem, nem pra onde tudo vai. Ninguém precisa ler e dizer que se colocou no meu lugar, até porque não quero esse tipo de atenção. Apaixonado por poesia e melancolia. Curitibano do leite quente, e do cachorro quente com duas vinas.

Anúncios

2 comentários em “Talvez não fosse a nossa hora

  1. Sou apaixonada por tudo que escreves. Achei um texto teu por acaso e agora me encontro viciada em tuas publicações. Parabéns e obrigada por escrever coisas tão lindas. Muito bom saber que ainda existe pessoas com um “eu lírico”.

  2. NOSSA…parece o fim do meu casamento em poesia. COMO FOI INTENSO LER ESTE TEXTO…identico….me pergunto quantos nao se perderam por nao saber cultivar, regar o dia a dia….

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s