O amor virou “bom dia”

Tenho reparado nas manifestações de amor nas redes sociais e fora delas. Notei como as pessoas têm transformado ele em pó.

Há alguns anos (e não me refiro a 1970), dizer ou receber um “Eu te amo”  levava meses, talvez anos, e era uma bela prova do sentimento de uma pessoa pela outra. Hoje, os “eu te amos” consomem as páginas do Facebook e do Instagram em menos de um mês de namoro.

Com as hashtags, o amor realmente virou moeda de troca. #teamo #minhavida #meutudo #ummes é o que mais se vê por aí. Pior que isso, são aquelas pessoas que mudam de namorado a cada seis meses, mas mantém as mesmas hashtags.

Em um relacionamento, no auge dos meus 18 anos, jurei amar o cara que estava comigo. Como ele nunca se pronunciou, eu também mantive o silêncio, e óh: foi a melhor coisa que fiz!

Em outro relacionamento, recebi um presente de um mês de namoro com um singelo “eu te amo” escrito em um porta retrato. Achei fofo, mas não verdadeiro. Como alguém – que não seja minha mãe – pode falar que me ama em um mês?

Como capricorniana nata que sou, sempre desconfiei de palavras que fogem da realidade. Tudo muito intenso em tão pouco tempo não poderia dar certo (e não deu!)

Algumas pessoas têm um complexo de inferioridade tão grande que precisam ser contempladas o tempo todo. Precisam mostrar ao mundo que estão felizes, mesmo não estando.

Enquanto eu não alterei meu status de relacionamento, o dito cujo não sossegou. Eu gostava dele, e muito, mas não queria que todos soubessem da minha vida. Tive que atualizar o status pra não terminar o namoro.

Diversas amigas (os) fazem o mesmo. Imploram a atualização do status, postam fotos a cada minuto, fazem declarações de amor absurdas… que não duram um ano.

Conheço histórias de casais que passam por crises, mas no facebook estão felizes da vida. Hipocrisia? Não sei. Cada um sabe o que faz.

Eu só lamento porque tudo isso foge da normalidade, foge da FELICIDADE que deveria ser obrigatória. Tá feliz e quer contar ao mundo? Vai lá garota, mas por favor, não jogue o amor no lixo.

Não diga eu te amo como quem diz Bom Dia. Não apresse sua história. Não insista. Se o amor é teu, ele espera, não tem pressa e não precisa de holofotes.

Meu maior orgulho é ter um ciclo de pessoas que vivem ótimos relacionamentos e não os expõem ao mundo. Eles se guardam, se preservam, mantém a intimidade para si. E tudo é tão lindo, tão natural, que dá gosto ficar perto deles e aprender sempre um pouco mais sobre relacionamentos.

Anúncios

4 comentários em “O amor virou “bom dia”

  1. Podemos dizer Eu Te Amo, aos filhos,e a família, adoro pronunciar esta palavras tão bonita, pois amo de verdade, e todos os dias digo “eu te amo e bom dia filhos e família.” Achei linda a matéria Parabéns.

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s