Aranha, meu herói!

Pois é amiguinhos, vamos voltar ao assunto. Por um lado, foi bom tudo isso ter acontecido pra jogar luz sobre esse tópico tão polêmico: mamilos racismo. Quando todo mundo achou que a poeira iria baixar e que só voltaria á tona no julgamento do recurso, houve um Grêmio x Santos pelo Brasileirão, quinta-feira da semana passada, bem no dia do meu aniversário. Por eu ser da turma do copo meio cheio, achei que a coisa rolaria de boa, que eu não ficaria enojada da mesma forma que fiquei quando o Barça tornou a jogar no El Madrigal. Que pena. Eu estava comemorando meu aniversário num restaurante e fui forçada a acompanhar aquela partida sofrível. No fim das contas foi bom eu ter visto por causa das entrevistas do pós-jogo. E eu acabei ganhando um herói de presente. O impassível goleiro Aranha.

aranha-santos-gremio-racismo

Eu acho uma pena tachá-lo assim. Só quem carrega de verdade essa bandeira contra o preconceito é que sabe o quão pesada ela é. Todo mundo fica de olho no comportamento dele, seja pra justificar o preconceito ou pra mostrar como exemplo na luta pelos direitos dos negros. Enquanto um lado busca uma brecha que seja pra sustentar seu ódio, o outro usa a atitude e as palavras dele para reforçar o ânimo nas batalhas diárias. E tem funcionado desta forma desde que seu gesto de denúncia aconteceu, afinal, com a glamourização da dona mocinha, ele já está quase se tornando o malvadão da história quando disse que não queria se encontrar com ela, parando todo um ciclo de espetacularização midiática do ocorrido, que tinha o objetivo de botar panos quentes dizendo “vamos dar as mãos! Essas coisas não existem…” EXISTEM SIM! E QUEM É RACISTA OU MANIFESTA ATITUDES RACISTAS TÊM DE PAGAR POR ISSO LEGALMENTE! Certo, parei com o Caps Lock.

Voltando ao jogo do dia 18, como se não fosse evidente que o ambiente pesado era por causa do racismo flagrado, que teve como consequência a exclusão do Grêmio da Copa do Brasil, o que há quase um mês vem fazendo pipocar cada vez mais cegos que minimizam o acontecido pelo fanatismo ilimitado pelo time ou pelo seu estado (algo que nunca consegui entender – ainda acho melhor reconhecer as falhas e tentar corrigi-las que simplesmente amar seu território como se ele não tivesse problemas), ainda houveram jornalistas que, após o jogo, colocavam lenha na fogueira com perguntas e atitudes sarcásticas, além do sorrisinho idiota da repórter após a resposta ríspida do goleiro.

Aranha-gremio-racismo

Aranha fez mais que mostrar a sujeira escondida debaixo do tapete, o que irou racistinhas incubados pelo país todo, além de tocar na ferida de alguns negros que ainda aceitam isso de cabeça baixa, tais como (Quem diria!) Pelé. Sua posição exemplar, irredutível e de quem quer discutir a coisa sem rodeios e em seus termos certos tem feito muita gente espumar de raiva. E tem me maravilhado cada vez mais, a ponto de enfrentar fogo amigo no Facebook por concordar em gênero, número e grau com o jogador. Vaias são normais? Sim. Mas ali era EVIDENTE que o contexto era outro. Não precisa de muito pra entender isso, uma mente pensante já basta. Invariavelmente, essa sua postura suscita a reflexão que muita gente não quer fazer.  É imprescindível que toda essa comoção aconteça para levantar esse debate. E se hoje isso está sendo amplamente ventilado, é graças ao Aranha.

Mas infelizmente essa torrente de ódio gera pressão, já está transformando-o em algoz, ao ponto de ter gente ligando-o diretamente ao ato selvagem de terem incendiado a casa da dona moça lá (que eu simplesmente me recuso a dizer o nome. Chega de holofotes em cima dela). Espero que ele não ceda, que a moça e todos os outros (principalmente os que referendaram as ações racistas) paguem legalmente por seus atos. Eu preferiria que ele não se encontrasse com ela, mas isso já não depende de mim. AI ARANHA, ME ABRAÇA, ÍDOLO! 

Espero que ele siga com essa conduta, que eu seguirei com ele. A cada entrevista, a cada reportagem eu me sinto cada vez mais contente ao ver que alguém teve a coragem de quebrar esse círculo vicioso, coisa que outros não tiveram coragem de fazer. A atitude do goleiro foi ímpar, a ponto de suscitar toda essa comoção sem nenhuma propaganda viral (Adoro o Neymar e o Dani, mas repito: “Somos todos macacos coisa nenhuma!“) e o único apoio que eu vi ele receber lá de fora foi o do Zagueiro Thiago Silva, do PSG (meu capitão favorito e aniversariante dessa semana, mas isso não vem ao caso).  A briga está só no começo, mas já acompanho cada passo do meu novo herói. Espero que ele mantenha sua ótima atitude até o final disso tudo.

Sou negao sim e daí ??? Tô contigo mano #aranha

A post shared by Thiago Silva (@thiagosilva_33) on

Um dia ainda conseguiremos quebrar esses grilhões.

Anúncios

Um comentário em “Aranha, meu herói!

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s