Será que cantadas de pedreiro funcionam?

Se você já foi numa balada, bar, show ou em qualquer outro lugar onde rola flerte e “pegação”, deve ter presenciado situações e cenas onde, geralmente, um homem usa alguma cantada para tentar se aproximar de uma mulher, pra fazer amizade e algo mais. Eu ficava intrigado observando as falas, comportamentos, gestos e sinais que envolvem o flerte e a conquista em si. Alguns usam “cantadas de pedreiro” indiscriminadamente, outros fazem o tipo “bom rapaz” e ainda tem aqueles que são meio termo entre o cafajeste e o bom moço.

Acontece que, de uma forma ou de outra, a maioria deles acabava conseguindo o que queria. Não quero entrar na questão se é certo ou errado, apenas queria entender o contexto em que as coisas aconteciam. Pois, apenas ouvindo conversas recheadas de “cantadas de pedreiro” me parecia algo muito superficial para conquistar uma mulher. Tinha que ter algo mais!

A história abaixo é um resumo dessas observações. Leia o texto todo primeiro, depois leia apenas os diálogos em negrito e tire suas próprias conclusões. 😉

balada

Local: Uma balada qualquer
Status: O Colega X quer virar Amigo X da Amiga Y (todos entenderam né? Ele quer ficar com ela.)

O Colega X estava usando uma calça do tipo arrocha e camisa mais grudada que a do Gusttavo Lima em dia de show. Ele se aproxima da Amiga Y que estava encostada no balcão do bar usando um vestido de bolinhas brancas, se inclina na direção dela olhando fixamente com um sorriso cafajeste nos lábios e tasca:

Colega X: -Alguém já contou quantas bolinhas tem o seu vestido?

Amiga Y esboça um leve sorriso no canto da boca por exatos 200 milissegundos após ouvir a cantada, isso é quase o tempo de um piscar de olhos, imediatamente seu instinto feminino liga o alerta de #CafajesteDetected aos 400ms, e seu cérebro entra no modo MD2MO automaticamente (Mulher Difícil mas Disponível Mode ON) e instintivamente ela tenta se livrar do cara respondendo:

Amiga Y: -Amigo… da fruta que você gosta eu como até o caroço!

O Colega X, como bom observador que é, viu o esboço de sorriso de 200ms da Amiga Y, significa que ela gostou dele, mas não vai admitir nem sob tortura. Ele também notou que na hora em que Amiga Y respondeu, ela cruzou o braço esquerdo e levantou ligeiramente o braço direito na direção dele para que a garrafa de Smirnoff Ice que ela segurava, ficasse entre os dois. Dessa forma, ela delimitou o perímetro máximo que ele poderia se aproximar… Mas o que realmente importava para o Colega X é que ele já tinha “ganhado” ela antes mesmo de abrir a boca. E ele soube disso no exato momento em que ela viu ele se aproximando e instintivamente ajeitou o cabelo com a mão, um claro sinal de interesse. Com base na resposta dela(se passando por sapatinha), o colega X define rapidamente a estratégia e responde:

Colega X: -Mas eu gosto de banana… e banana não tem caroço. Acho que a gente precisa se conhecer melhor e…

Amiga Y entra em pânico e sua cabeça começa fervilhar…”Banana? É cilada Bino!”, “Putz, será que o cara é gay?”, “Já deveria saber, eu não dou sorte com homem bonito”, “Estou condenada a viver forever alone”, “Merda! Eu dei a entender que era sapata…e agora?”. A Amiga Y sem perder a pose, franze a testa e olhando de forma esnobe interrompe o Colega X quando ele dizia “a gente precisa se conhecer melhor…” e decreta:

Amiga Y: -Amigão… eu quis dizer que gosto de mulher, compreendeu!

O Colega X sem pestanejar, se aproxima e invade o espaço delimitado pela garrafa de Smirnoff Ice e com um sorriso mais cafajeste ainda fala perto do ouvido dela:

Colega X: -Tá vendo? Nós temos tanta coisa em comum…

A Amiga Y acaba sorrindo pra ele… Não por que achou engraçado, mas por que ficou visivelmente aliviada ao perceber que o Colega X não era gay. Mas como a Amiga Y precisa manter a banca de mulher difícil, ela não facilitou. Então, ela encosta a garrafa de Smirnoff Ice no peito dele e o empurra vagarosamente para trás, de volta a área limite de aproximação e desdenha:

Amiga Y: -Você sempre faz essas piadinhas sem graça?

O Amigo X queria ver mais do que um sorriso… ele precisava fazer ela rir.(sim, ele deixou de ser Colega X no momento em que ela fez a primeira pergunta pra ele… quem não tem interesse, não faz perguntas. Certo?). Enquanto o Amigo X pede para o barman uma garrafa de espumante e duas taças, ele abre um sorrisão e diz:

Amigo X: -Fica comigo! Eu faço você esquecer o Marcelo…

A Amiga Y, que estava olhando pra bunda do Amigo X enquanto ele falava com o barman, nem pensou direito e retrucou com cara de surpresa:

Amiga Y: -Ma-marcelo? Que Marcelo?

O Amigo X, invade novamente o espaço delimitado pela garrafa de Smirnoff Ice (que a essa altura já estava quente), retira gentilmente a garrafa da mão dela e coloca uma taça de espumante geladíssimo no lugar e com a cara mais ordinária do mundo, responde:

Amigo X: -Viu? Já tá esquecendo.

A Amiga Y, não resiste e cai na gargalhada junto com o Amigo X… que nem dá tempo pra ela pensar:

Amigo X: -Isso por que eu nem te beijei ainda… Um brinde ao desapego!

A Amiga Y discretamente morde os lábios demonstrando interesse, mas seu cérebro ainda está com o MD2MO ativado e o Amigo X sabe disso (no modo MD2MO a mulher tem tendência a dar respostas negativas) então ele pega pesado:

Amigo X: -Quer ver eu te beijar agora?

Amiga Y: -NÃO!

Amigo X: -Então fecha olhos gatinha!

Amiga Y: -kkkkkkkkkkkkkkkkk (e passa a mão no cabelo novamente)

Enquanto a Amiga Y ria (rir é a saída mais comum usada pelas mulheres para não ter que responder nem sim, nem não, nem talvez), o Amigo X sabia que estava na hora…
Então ele segurou sua cintura com a mão esquerda enquanto colocava a taça no balcão com a outra mão e num movimento firme, porém gentil, ele envolveu a Amiga Y nos braços e ainda que ela tentasse resistir inclinando o corpo pra trás, o Amigo X buscou sua boca e beijou a Amiga Y com intensidade.

Depois de algum tempo se beijando, a Amiga Y afastou a boca e nesse momento o Amigo X puxou ela de volta e continuou beijando com vontade, pois o beijo dela ainda não estava “macio e bem encaixado” como deve ser o beijo de uma mulher que se deixou ser conquistada. Aos poucos a Amiga Y foi relaxando os braços, as pernas e após um longo suspiro que levou embora o resto de tensão, a boca da Amiga X ficou macia e o beijo ficou mais gostoso… o Amigo X havia conquistado a Amiga Y.

pegada

Moral da história: Cantadas de pedreiro NÃO funcionam… o que funciona sempre é ATITUDE e PEGADA. Corrijam-me se eu estiver errado!

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s