Corda Bamba

Ler ouvindo: Passos Falsos – Capital Inicial
A jovem, mesmo dopada com todos os remédios, acordava todas as madrugadas nos mesmos horários. Olhava para os lados ainda meio tonta tentando entender onde estava, e lá via seu quarto, isso não era incomum, só lhe dava aquele aperto no peito, meio nostálgico, meio masoquista, meio sonhador. É aqueles sentimentos eram uma mistura de tudo que fosse possível ser sentido.


Ás vezes ao se lembrar sentia uma saudade infinita, mas ao mesmo tempo um ódio mortal de si mesma e dos envolvidos, como poderia ter sido tão tola em acreditar em tudo. Onde estava a verdade? Onde estava a coragem? Onde estava a lealdade? Onde se perdeu as palavras?
É, nesses momentos ela imaginava que tudo não passou de uma ilusão, a dúvida era até onde ela se iludiu sozinha e até onde lhe pregaram a peça.
Um dia lembrou de como tudo começou e de como ouvia as pessoas dizendo que ela tinha que tomar cuidado para não ferir ninguém, mas até onde sabe ninguém se preocupou em lhe ferir. Ali estava um dos vários erros, preocupar-se mais com as cicatrizes e feridas alheias do que com as próprias. Talvez o que ela acreditava estava errado, pra sobreviver nesse mundo de selva era necessário sim ser um leão, egoísta e egocêntrico que se preocupa mais com os próprios holofotes do que com o resto dos meros animais.

image

Sentada em sua cama olhando para o lado, puxou seu velho coelho para mais perto, deitou, fechou os olhos. Nesse momento as lágrimas ficaram entaladas na garganta, mas dali não sairiam. Ela já não choraria por isso, mesmo que escondida. Tudo tinha um limite, e ela já havia passado do seu, os remédios e as visitas aos médicos indicavam isso.
Amanhã seria um novo dia, e lá a jovem Isabelle estaria pronta pra colocar um sorriso barato no rosto, pra mostrar o mundo o seu mau humor irônico. Faria piadas idiotas ou ofensivas só pra esconder o que só aparecia quando ela acordava às 1h, às 2h30, às 3h e entre as 5h e 6h da manhã e voltasse a olhar aquela cama enorme e o quarto vazio e ali de novo lembraria, sentiria, entalaria o choro e voltaria a conversar com Deus pedindo por um pouco de paz.

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s