Tarde de outono

Porque o outono é sempre igual as folhas caem no quintal tae e tem um poeminha que nasceu há muito tempo e foi lindo num cenário todo especial, pela Bruna Bracht!

 

Tarde de Outono 

No banco da praça

Estávamos sentados

Enquanto eu arrancava a folha do caderno,

Observei que algo sucedia ali perto

Com o sopro do vento (do tempo?)

Com o sol a sorrir pra nós

Vi caindo uma folha da árvore que nos fazia sombra

Folha e folha se cruzaram,

Folha e folha se abraçaram,

Nos olhamos e então

Nos abraçamos!

E antes de ir

Eu disse:

Espera aí…

E recolhi as folhas do chão.

 


Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s