A sensibilidade literária

Em tempos tão hostis, a literatura nos emociona e trata de uma forma delicada e envolvente situações históricas da humanidade, como o fato da Segunda Guerra Mundial, se baseando em fatos verídicos como “O diário de Anne Frank”, ou que mistura a realidade com a ficção nas obras de “A menina que rouvava livros” e a “Bibliotecária de Auschwitz”. São livros que trazem contextos históricos e nos trazem reflexões necessárias não só no conceito história, mas de humanidades. Como o ser humano reage diante das atrocidades. O que me emociona nestes livros, é a relação de que até no caos e no medo, bons sentimentos se preservam. Uma época triste em nossa história, que conta relatos de pessoas corajosas e repletas de esperanças.

Na abertura do livro “A Bibliotecária de Auschwitz”, William Faulkner, citado por Javier Marias, apresenta a seguinte reflexão:

“O que a literatura faz é o mesmo que acender um fósforo no campo no meio da noite. Um fósforo não ilumina quase nada, mas nos permite ver quanta escuridão existe ao redor. “

tumblr_o5r5mriIoy1rcnm62o1_500

Podemos também citar as obras cinematográficas, “O menino de pijama listrado” e “A vida é bela”, que com repleta sensibilidade nos emocionam, a sensação de ter empatia ao próximo e se colocar na devida situação, na qual, milhares de pessoas tiveram suas vidas destruídas, pela necessidade de poder e ódio, destruíram em massa inúmeras histórias de vidas, enlaçadas com outros alguéns, pessoas com sonhos e desejos.

Uma interpretação muito pessoal minha, é que quando sabemos que o fato é verídico, como o caso da Segunda Guerra, mesmo que a história das personagens seja fictícias, por saber que de fato esse evento ocorreu, me emociono bastante.

A análise que quero chegar, é a forma como a arte consegue trazer sensibilidade, o artista é um ser transformador, que se expõe através do sensível. E de como ela é fundamental para nos despertar e cativar, com histórias de pessoas desconhecidas a nós, mas que se tornam muito próximas, através das literaturas e obras cinematográficas, a arte como forma de nos lembrar e provocar o que está adormecido.

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s