Céu Sol

Não lembro se eu já mencionei aqui neste espaço, mas o que eu mais gosto no meu livro foi ter conseguido construir as centenas de referências e intertextualidade presentes de maneira fluída e sendo aquilo que eu tinha lá dentro, naquele momento, mas também, que de certa forma, consiga acrescentar um algo a mais, para os que leem. Assim, nasceu este poema, com menção a frase da letra do também poeta e compositor Renato Russo, em sua letra ao final da postagem e a menção da Amelie (seria um spoiler????) falando sobre os coelhos.

Meu agradecimento imenso a Maria Aparecida Webber que emprestou sua voz na leitura do poema ❤

 

Céu, sol

Como aquele céu de brigadeiro

De um azul que enche de esperança

O mundo inteiro

Ou o céu todo desenhado

Na pureza da pequena Amelie

Que vê coelhos…

 

Depois de tanta chuva

Valorizo o Sol

Como disse Renato Russo:

“Já estávamos acostumados

A não termos mais nem isso”

 

Olhar o céu dá paz

Daquelas de encher o peito

E soltar o ar devagar

 

Vontade de ter você para abraçar

Olhar o céu,

O céu não é a cor do seu olhar

O seu é mel

O mesmo que encontro em seu beijo

 

Esquenta tal qual o Sol

Esquenta e também aquece

Ah! Esquece…

É a lua que comove o poeta como o Diabo!

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s