O Teto

Os olhos abertos encarando o teto. Pegou o celular sem mover-se, desligou o despertador. Nesse momento esbravejava mentalmente, mas que momento mais importuno para atrapalhar seu sono. Queria poder dormir mais um pouco e não era por estar cansada ou algo do tipo, era só vontade de fechar os olhos e esquecer um pouco dos estudos, do trabalho, dos problemas dos amigos, dos seus próprios e até mesmo daquele dia lindo e ensolarado que pedia por qualquer atividade ao ar livre.

Os olhos abriram de novo, fechavam, abriam, fechavam… “Porque não se fecham de vez?! Só queria poder viver um pouco de uma paz, a qual acho nesses momentos em que meu corpo está no sentindo horizontal, em que meu esqueleto repousa e minha mente pode ir bem mais além, sem que alguém a limite”, aquela menina solitária pensava.

Sim, ela gosta de sonhar, ela gosta de esquecer o mundo a sua volta, de viver uma vida a qual não a pertence. Ela tem azas, ela tem liberdade, ela está ao lado de pessoas que não conhece, mas que significam muito para ela. É aquela coisa de encontrar a felicidade de verdade em pequenos atos, mas isso só acontece em suas ilusões noturnas.

tumblr_lppm0exmzs1qmvac5o1_500

Pegou mais um comprimido, tomou. Fechou novamente os olhos e deixou-se levar. Agora estava novamente naquele ambiente amplo, em um dia de sol, o vento fresco deixava o clima ainda mais gostoso. As flores das árvores caiam e ela balançava em um balanço de pneu. Os olhos brilhantes a olhavam fixamente. Sorriu, estendeu a mão e foi puxada para um abraço.

-Je t’aime!

O despertador tocou, já era hora de levantar para ir para o trabalho. Mais um dia começava e ela novamente pedia para que ele terminasse logo, pra que voltasse para aquela cena. Para que pudesse saber o que aconteceria depois daquela fala. Ahhh… Queria fechar os olhos e voltar para o seu mundo, dormiria o dia inteiro, a semana inteira, o mês inteiro e o ano inteiro. Quem sabe até pela eternidade.

Não se importava com o que aconteceria quando fechasse os olhos pela eternidade, pois isso representava a morte. Não tinha medo, só queria fazer parte daquele mundo, desejava e precisava que ele fosse real. Porém naquele instante, apenas olhou para o teto enquanto tentava se convencer de que levantar e ir trabalhar era a melhor escolha, pelo menos naquele momento.

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s