Daqui a mais ou menos 8 semanas vou desembarcar numa nova estação. Dizem que lá embora haja muita dor, tudo é muito lindo. Dizem também que embora haja sofrimento, trata-se de um sofrimento prazeroso. E dizem ainda que quem vai pra lá uma vez, não escolhe outra estação se não aquela.

Alguns relatos descrevem o lugar como um paraíso de dor, amor, ternura, afeto e recompensa. Há quem diga que a passagem é tão rápida que mal dá para aproveitar todos os momentos, mas que ainda assim é algo inesquecível.  Olha, eu de verdade não sei como será, mas confesso que estou animadíssima para conhecer a Partolândia, até porque este será oficialmente o meu próximo destino!

Minhas malas ainda não estão prontas, mas estão em construção. Para você chegar até a Partolândia é necessário uma bagagem… Uma bagagem bem ajustada, bem definida, bem munida de CONHECIMENTO. Exatamente, conhecimento. É desta mala que estou falando.

Quando vamos provar algo novo temos medo. E se temos medo é porque de fato desconhecemos aquilo que vamos provar. Por isso é necessário buscar conhecimento, e preparar as “malas” com todas as informações possíveis de se guardar.

Comecei a preparar a minha bagagem quando entrei no 5º mês de gestação. Na verdade, no fundo nem eu mesma sabia que já estava me preparando para esta viagem, (fui avisada disso somente alguns meses depois, graças a Doula Karine Paula Dassoler). Existem situações em que de modo inconsciente vamos nos preparando, e aos poucos com ajuda de profissionais “as fichas” vão caindo.

Por ter recebido um diagnóstico de trombocitopenia gestacional (queda das plaquetas, que são responsáveis pela coagulação sanguínea), comprei a minha passagem para a Partolândia.  Por recomendação médica vinda do obstetra e também do hematologista, o PARTO NORMAL, seria o mais seguro e indicado para mim.

Ter um PN após uma cesárea é algo tanto quanto duvidoso… Mais duvidoso ainda para quem não acredita na natureza linda, perfeita e uniforme do nosso corpo. Foi então que ao entrar na “fila” para comprar a minha passagem conheci pessoas que acreditam no PN, que acreditam em mim, que acreditam que sou capaz de parir (mesmo depois de uma cesárea).

Desde então, as conversas tem sido muitas. A troca de informação também. E a essa altura minhas malas já estão quase prontas… Cada vez mais vou me munindo de informação. E, o que antes era só MEDO, hoje passa a ser ansiedade. Ansiedade pela descoberta do novo. Pela descoberta do natural. Pela descoberta de como tudo sempre deveria ser.

A Partolândia me espera. Provavelmente chegarei lá quando eu estiver na fase ativa do meu trabalho de parto. Pode ser que na hora eu não responda muita coisa, na verdade mesmo quero que me deixem conhecer este lugar, no meu tempo e do meu modo.

Mas prometo que ao sair de lá, minha experiência ganhará mais um texto como este!

 

parto-1

Anúncios

Obrigada por comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s