Confissão do incerto

Algumas coisas estão acontecendo e sinto como se não soubesse ou se não fizesse parte delas. É uma coisa muito estranha, ainda mais com essa sensação que não passa por nada, começa com um aperto no peito, um arrepio gélido subindo pela espinha, uma voz dizendo algo que não sei definir. As lágrimas pedem para … Continue lendo Confissão do incerto

Oi, tudo bem? Tem certeza?

Já parou para pensar quantas vezes você diz e ouve essa frase por dia? Certamente não. Mas, e você saberia dizer quantas vezes hoje perguntou a alguém se estava tudo bem porque realmente se importava com a resposta? Um simples “Oi, tudo bem?” sai tão automático hoje em dia que arriscaria dizer que 90% dos … Continue lendo Oi, tudo bem? Tem certeza?

Geração Sem Coração

"Nunca mais vou amar ninguém." "Meu coração é gelado, ninguém me machuca". Nossa rainha/rei do gelo, que medo hein! Quem é a rainha Elsa, perto de você. Estamos na geração das pessoas sem coração. Pois é, não sei como vivem pois, o coração é o que bombeia todo seu sangue para que você possa viver. … Continue lendo Geração Sem Coração

Só posso dizer

Leia ouvindo: Nando Reis - Só Posso Dizer (Seattle) (Jardim-Pomar) Voltando para a casa, dia cansativo ligo em uma rádio da cidade e começo a prestar atenção na melodia que começa tocar, a voz era inconfundível, era do ruivo Nando Reis. Sobre a música, o cantor comentou: “É uma dessas músicas que parecem que já … Continue lendo Só posso dizer

A Chape e reflexões sobre humanidades e a importância de se viver cada dia

Ler ouvindo: Trem-Bala-  Ana Vilela O sábado de manhã amanhece com tonalidades cinzentas, com ar de luto. Minha mãe prepara o almoço com todo o carinho e na televisão a cobertura do cortejo das vítimas do Chapecó. Por mais que a comida estava apetitosa, a angústia no peito e o nó na garganta, não deixavam a … Continue lendo A Chape e reflexões sobre humanidades e a importância de se viver cada dia